Drogas definitivamente são péssimas, pois além de acabar com as relações do viciado e sua família, amigos, etc., de prejudicar seus estudos e o trabalho, também causa danos horríveis ao organismo.

A metanfetamina tornou-se uma das drogas mais perigosas e viciantes do mundo, já sendo usada como descongestionante nasal e no tratamento de narcolepsia na década de 1930.

Os efeitos da metanfetamina são muito parecidos com a cocaína, estimulando o sistema nervoso central, deixado o usuário irritado com insônia e falta de apetite.  A metanfetamina faz com que os níveis de dopamina, noradrenalina e serotonina aumentem potencialmente, deixando a pessoa eufórica, em estado de alerta. A sensação é de auto estima totalmente elevada, diminuindo o cansaço e aumentando o desempenho sexual.

A maioria dos usuários de metanfetamina consiste em jovens estudantes que desejam se aproveitar da euforia que a droga proporciona. Esta droga potente pode ser ingerida por via oral, aspirada, fumada ou injetada. Por ser muito potente, ela tem alto poder de dependência, pois age no circuito de recompensa do cérebro, fazendo a pessoa buscar mais por aquela substância.

Além de levar o usuário a inúmeros problemas cardíacos, AVC e até mesmo parada cardiorrespiratória, podemos notar as terríveis mudanças físicas, que estraga totalmente a aparência dos indivíduos. A droga também pode causar transtornos psiquiátricos, de forma que o usuário tem constantes alterações de  comportamento e manias de perseguições.

Podemos ver claramente que a droga prejudica o organismo, causando deformações no rosto, alterações significativas de pele, perda de peso e queda e cabelos, sobrancelhas, etc.

Os médicos ressaltam a importância da busca pelos quadros de tratamentos que possam reverter o problema. Primeiramente o viciado precisa fazer sessões de psicoterapia, obtendo muito apoio e compreensão da família sobre sua condição.

Depois disso o uso de medicamentos, ainda sob acompanhamento psiquiátrico deve ser feito, de modo que a família precisará ser muito compreensiva e evitar julgar o usuário, já que inúmeras causas emocionais e mentais o fizeram a aderir ao vício.

[Daily Mail]

Comentários

CONTINUAR LENDO