O corpo de um homem, com idade em torno de 50 anos, foi incendiado depois de sua morte – disse o arqueólogo Andrey Plekhanov, do Centro de Pesquisa do Ártico na região de Yamalo-Nenets, na Rússia.

As sepulturas encontradas em Yur-Yakha III são diferentes de tudo visto a partir desta época na região, dizem os especialistas. ‘Com certeza não há enterros medievais semelhantes no norte da Sibéria’, disse Plekhanov. ‘Tal ritual não foi previamente feito em necrópoles medievais da região e podemos ter certeza de que ele não morreu em um incêndio’.

Após muitas analises, a terceira sepultura de uma mulher foi roubada e somente sua clavícula foi deixada. Misteriosamente, trata-se de um enterro bizarro em que as vítimas são colocadas nas covas em posições fetais.

Várias outras escavações estão acontecendo no local, na esperança de obter mais Estima-se que um misterioso ritual era feito, e os especialistas querem entender mais sobre esse grupo desconhecido.

“No momento não sabemos por que eles foram enterrados desta forma, nem o significado disso”, disse ele.

Os restos dos mortos apresentaram muitas condições médicas, incluindo hiperostose – crescimento excessivo de tecido ósseo – luxação do ombro, anomalias dentes, sinusite e traumas de coluna.

“Estas pessoas viviam em condições muito duras, eles estavam desnutridas”, disse ele.

Dois dos túmulos foram roubados muitos séculos atrás, mas nos túmulos das mulheres jovens algumas descobertas importantes foram feitas. Uma das jovens foi enterrada com uma pulseira de bronze estampada com a imagem de um urso, anéis e pingentes, bem como um dispositivo para remover a neve de suas roupas. Ela também tinha uma máscara feita de pele animal.

Já a outra mulher ‘levou apenas uma faca de ferro para sua vida após a morte “, relatou o Siberian Times.

Os arqueólogos acreditam que ela provavelmente morreu após o parto.

Dada a condição misteriosa, os especialistas associam os eventos religiosos praticados na época.

Fonte: Daily Mail.

Comentários

CONTINUAR LENDO