Uma estrela conhecida por estar em um curso de colisão com o nosso Sistema Solar chegará ainda mais perto do que pensávamos, descobriu um novo estudo.

Os dados capturados pelo observatório de Gaia da Agência Espacial Européia mostraram que a estrela Gliese 710, poderá chegar perto o suficiente para causar grandes ataques de cometa em nosso sistema. Como resultado, ela aparecerá como o objeto mais brilhante e mais rápido no céu noturno.

Os pesquisadores Filip Berski e Piotr Dybczński, da Universidade Adam Mickiewicz da Polônia, revelaram que as distâncias mínimas da estrela para o sistema solar é de quase cinco vezes mais perto do que se pensava anteriormente, conforme um estudo publicado na revista Astronomy & Astrophysics. Provavelmente ela viajará através da Nuvem de Oort, uma concha de objetos gelados e cometas de longo período que circundam nosso sistema.

Se isso ocorrer, a forte força gravitacional da estrela, que tem uma massa de 60 por cento a do nosso sol, poderia causar uma chuva de cometas que podem mudar de curso e atingir o nosso planeta. Embora alguns vão deriva no espaço e outros serão absorvidos pelo sol e outros planetas, os astrônomos têm advertido um impacto significativo com a Terra é inteiramente possível.

Todavia, não há nenhuma necessidade preocupar-se com algum apocalipse já que espera-se que a estrela venha a 1,2 trilhões de milhas da Terra. Embora essa distância seja significativa, ela é ainda perto em termos do espaço – Alpha Centauri, atualmente a estrela a mais próxima à terra além de nosso sol fica alguns 25.67 trilhões de milhas mais afastada.

As conseqüências desta estrela passageira são tão grandes que foi considerada uma das maiores ameaças nos próximos 10 milhões de anos. “Podemos esperar que essa estrela tenha a maior influência sobre os objetos da nuvem de Oort nos próximos dez milhões de anos e, mesmo nos últimos vários milhões de anos, não houve nenhum objeto tão importante perto do sol”, diz o artigo recentemente publicado.

[Daily Mail]

Comentários

CONTINUAR LENDO