“As mulheres e os homens olham para os rostos e absorvem a informação visual de diferentes maneiras, o que sugere que há uma diferença de gênero na compreensão das informações visuais” – sugere uma equipe de cientistas que incluíram psicólogos da Universidade Queen Mary de Londres (QMUL).

Os pesquisadores usaram um dispositivo de rastreamento ocular em quase 500 participantes no Museu da Ciência durante um período de cinco semanas para monitorar e avaliar o quanto de um contato visual eles se sentiam confortáveis ​​enquanto olhavam para um rosto na tela de um computador.

Eles descobriram que as mulheres olhavam mais para o lado esquerdo dos rostos e tinham um forte viés do olho esquerdo, mas que também exploravam o rosto muito mais do que os homens. A equipe observou que era possível dizer o sexo do participante com base no padrão de varredura de como eles olhavam para o rosto com quase 80 por cento de precisão. Dado o tamanho de amostra muito grande os pesquisadores sugerem que isso não é devido ao acaso.

O autor principal, o Dr. Antoine Coutrot, da Escola de Ciências Biológicas e Químicas da QMUL, revelou: “Este estudo é a primeira demonstração de uma clara diferença de gênero na forma como os homens e mulheres olham para os rostos. Podemos estabelecer o sexo do participante com base em como eles observam o rosto dos atores, e isso pode eliminar a hipótese de que tudo seja baseado na cultura do participante já que cerca de 60 nacionalidades foram testadas. E também podemos eliminar quaisquer outras características observáveis, ​​como atratividade percebida ou confiabilidade. “

Os participantes foram convidados a julgar o quão confortável era a quantidade de contato visual que eles fizeram com o ator, usando o Skype como cenário. Cada participante viu o mesmo ator (havia oito atores no total) durante o período de teste, que durou em torno de 15 minutos. No final da sessão os pesquisadores coletaram informações de personalidade sobre os participantes através de questionários.

A autora Isabelle Mareschal, da Escola de Ciências Biológicas e Químicas da QMUL, acrescentou: “Há inúmeras reivindicações na cultura popular de que mulheres e homens olham para as coisas de maneira diferente – esta é a primeira demonstração, usando o monitoramento ocular, para apoiar essa afirmação de que Eles recebem informações visuais de diferentes maneiras.

A equipe descreve seus achados no Journal of Vision e sugere que a diferença de gênero na coleta de informações visuais pode afetar muitos campos de pesquisa, como o diagnóstico de autismo ou até mesmo comportamentos cotidianos (como assistir a um filme ou olhar para a estrada durante a condução).

A pesquisa foi financiada pelo Leverhulme Trust e EPSRC e envolveu pesquisadores da Universidade de Londres e da Universidade de Nottingham.

[Science Daily]

Comentários

CONTINUAR LENDO