Uma equipe de exploradores australianos encontrou o mais antigo fóssil conhecido, com idade de 3,7 bilhões de anos. Foi localizado em um depósito de rochas sedimentares abaixo da camada de gelo da Groenlândia e traz provas sobre a existência da vida nos primórdios da Terra, época em que o planeta era mais próximo com Marte.

De acordo com os cientistas, esse achado pode mudar a compreensão sobre as condições para sustentação de organismos biológicos.

Para as mais antigas evidências preservadas na Terra, a descoberta representa um novo marco. Isso indica o rápido surgimento de vida na Terra e apoia a busca por vida em rochas parecidas em Marte – de acordo com Martin Van Kranendonk, diretor do Centro de Astrobiologia da Universidade de Wollongong, em Nova Gales do Sul (Austrália) e co-autor da pesquisa publicada na revista Nature.

O fóssil descoberto é 220 milhões de anos mais antigo que os registros de vida até então conhecidos. Com tamanhos entre um e quatro centímetros, os cientistas descobriram pequenas corcovas, visíveis recentemente devido ao derretimento de uma camada de gelo. Análises afirmaram que as estruturas eram comunidades de bactérias fossilidades, em vez de formações naturais.

Segundo Allen Nutman, também pesquisador da Universidade de Wollongong, isso indica que a Terra não era um inferno há 3,7 bilhões de anos, mas sim um local onde a vida podia florescer.

Há aproximadamente 4,6 bilhões de anos, a Terra foi formada e os estromatólitos descoberto mostram que após um bombardeiro de asteroides que terminou em torno de 4 bilhões de anos atrás, a vida evoluiu rapidamente. No momento em que apareceram essas bactérias, a Terra era bem parecida com Marte, com água na superfície e orbitando um Sol que brilhava 30% menos que hoje.

Vickie Bennet, professora da Universidade Nacional da Austrália, disse: “Essa descoberta muda os estudos sobre habitabilidade planetária. Ao invés de especular sobre possibilidades de ambientes, pela primeira vez temos rochas conhecidas que gravaram as condições e ambientes que estruturaram o começo da vida.

Fonte: O Globo.

Comentários

CONTINUAR LENDO