A atmosfera de Júpiter é centenas de vezes mais quente do que o esperado, os astrônomos acreditam que finalmente entenderam o real motivo.

A causa do aquecimento parece ser a Grande Mancha Vermelha (GRS), o maior furacão existente do nosso Sistema Solar. Usando um telescópio infravermelho da NASA, uma equipe britânica-americana descobriu que a atmosfera acima da GRS está acerca de 600°C.

Na Terra, a superfície e as temperaturas atmosféricas são reguladas pela radiação solar, mas no Sistema Solar exterior, os processos internos tornam-se dominantes.

O’Donoghue realizou observações de Júpiter com a Spex da NASA instrumento que observa as emissões de infravermelho do planeta. No hemisfério sul de Júpiter tinha um aquecimento estranho em determinadas longitudes e latitudes.

Esta descoberta vai além de Júpiter. Mas as altas temperaturas são comuns em outros planetas gasosos do Sistema Solar, e podem ser uma característica compartilhada dos gigantes gasosos em torno de outras estrelas também. Como podemos constatar, eventos atmosféricos fantásticos como este podem ser a sua causa.

O’Donoghue realiza observações de Júpiter com o Spex da NASA.

Fonte: IFLSCIENCE

Comentários

CONTINUAR LENDO