A sua mãe ou a sua avó com certeza já falaram para você que faz mal dormir tarde, entre outras coisas que você certamente já ficou “de saco cheio”, não é mesmo?

Isso parece ser verdade, já que “todo mundo” acorda cedo, porém, um estudo sobre  personalidades e diferenças individuais publicado pelo UOL mostrou que os indivíduos mais inteligentes são geralmente aqueles com hábitos noturnos. Isso acontece porque eles têm mais facilidade em compreender as mudanças evolutivas do que as pessoas menos inteligentes.

No passado essas pessoas eram alvos de crítica ou associadas às atividades paranormais e criminosas, porém hoje já pudemos ter um avanço sobre os notívagos através do entendimento de como funcionam seus cérebros e o estudo aprofundado sobre seus hábitos.

A tese diz que todas as espécies na natureza, incluindo os seres humanos, exibem um ciclo diário conhecido como ritmo circadiano. Este é uma espécie de “relógio biológico” que permite que o organismo se antecipe e prepare mudanças físicas para que faça as coisas “certas nos horários certos”.

A maioria esmagadora dos animais possuem um tempo de sono e vigília em sincronia com o controle circadiano, porém os humanos podem ignorar o seu relógio biológico.

O objetivo da pesquisa era testar se a inteligência estaria associada aos comportamentos mais incomuns e para isso foram usados os ritmos circadianos como parâmetro.

Concluiu-se que os seres humanos é uma espécie diurna e ao contrário de seus ancestrais que dormiam e acordavam cedo, nos adaptamos a um estilo de vida que dispensa a luz do sol – um sinal de inteligência evolutiva.

Ou seja, agora você pode dar uma desculpa mais convincente para sua família para poder perpetuar seus estudos ou trabalhos noturnos. Porém, recomendamos que você tenha cuidado com as horas dormidas, pois a falta de regulagem do sono pode gerar inúmeras consequências ao seu organismo, como também para sua vida social.

[Fonte: UOL]

Comentários

CONTINUAR LENDO