Stephen Hawking é muito conhecido por sua genialidade e história de superação: além de uma mente brilhante que concedeu a ele o mesmo posto de sir Isaac Newton em Cambridge, o físico já há algum tempo tem feito alertas sobre o futuro da humanidade.

Recentemente ele voltou a insistir no assunto enquanto lecionava na Universidade de Cambridge, na Inglaterra. O portal Science Alert confirmou que o cientista está plenamente convencido de que, se não mudarmos nossa postura perante os problemas do mundo, poderemos ser extintos em apenas mil anos.

stephen-hawking-alerta-que-humanidade-nao-sobrevivera

De acordo com Hawking, é muito importante que permaneçamos investindo na exploração do espaço e nas pesquisas que procuram encontrar planetas com condições similares à Terra, para uma possível colonização futura. Conforme disse o gênio, estamos vivendo tempos de grande crise e escassez de recursos de vital importância, além das questões como a perda de habitat, excesso populacional, aumento de arsenais e resistência a antibióticos para a prolongação da vida, além de criações de outras espécies de bactérias e vírus que se revelam mais resistentes à ação humana.

Hawking afirmou também que supõe que uma colônia autossustentável em Marte só seja possível em meados de um século e que até lá os seres humanos precisam ser muito cuidadosos com o nosso planeta. O físico também teme que uma guerra nuclear e outros perigos desconhecidos sejam capazes de assolar a humanidade, causando sua extinção ainda antes dos mil anos estipulados.

stephen-hawking-alerta-que-humanidade-nao-sobrevivera-2

Ele também expressou grande preocupação com relação à inteligência artificial, expondo que essa tecnologia possa desencadear o desenvolvimento de armas autônomas. Hawking uniu-se com mais de vinte mil especialistas de diferentes partes do mundo para tratarem sobre o tema, quando as máquinas alcançariam uma singularidade autônoma. Segundo ele, essa poderá ser a melhor ou pior invenção da humanidade e se não olharmos para o universo a fim de reduzir os impactos na Terra e também procurarmos um possível local para a colonização humana, estaríamos fadados ao fracasso.

[Fonte: Science Alert]

Comentários

CONTINUAR LENDO