Um novo túmulo que poderia conter o corpo de pelo menos um faraó desconhecido provavelmente foi descoberto no Egito, de acordo com os arqueólogos.

A descoberta ocorreu depois que parte de uma parede foi descoberta durante um projeto liderado pela Universidade de Birmingham. O túmulo, de 4.200 anos de idade, também é estipulado ter sido criado como um suporte arquitetônico para outro túmulo, que contém os corpos de Harkhuf e Heqaib, os governadores da Ilha Elefantina durante o Reino Antigo.

Arqueólogos da Universidade de Birmingham encontraram “provas convincentes” das novas tumbas faraônicas em Qubbet el-Hawa, em Assuã. Os pesquisadores dizem que o achado é “promissor”, acrescentando que é possível que o túmulo possa conter um faraó e a equipe pretende escavar o túmulo ainda em abril do próximo ano.

Uma muralha de 6,5 pés (dois metros) de altura foi descoberta abaixo do caminho de visitantes na parte norte do cemitério de Assuã do Oeste em Qubbet el-Hawa. Segue-se então a uma missão arqueológica da Universidade de Birmingham, da Sociedade de Exploração do Egito (EES) e do Qubbet el-Hawa Research Project Group (QHRP), dirigidos por Dr. Martin Bommas, da Universidade de Birmingham.

A parede recém-descoberta pode ter sido o apoio arquitetônico para as tumbas conhecidas do primeiro terraço superior, incluindo os de Harkhuf e Heqaib, que foram governadores da Ilha Elefantina durante o Reino Antigo. Devido à paisagem de Qubbet el-Hawa, a parede de apoio ajudou a proteger a encosta e os túmulos inferiores, que eram acessíveis por uma calçada que levava a um segundo terraço.

Carl Graves, um estudante de doutorado que trabalhou ao lado do Dr. Bommas no projeto, disse: “Os resultados estão alterando drasticamente a nossa compreensão da paisagem funerária nesta área durante o Reino Antigo e Primeiro Período Intermediário em 2278-2184BC. Acho que ninguém sabe a quem pertenceram as tumbas.”

Nasr Salama, diretor-geral das Antiguidades de Assuã e Núbia, descreve a descoberta como “deslumbrante”, dizendo ao Egito que agora é apenas uma questão de tempo até que novas tumbas sejam descobertas dentro do importante cemitério e assim mais conhecimento acerca da história do país seja agregado à sociedade.

[Daily Mail]

Comentários

CONTINUAR LENDO