Longa é a saga da ciência ao tentar resolver o maior dos mistérios do Universo: estabelecer uma teoria que possa desvendar os grandes mistérios do cosmo e de sua origem, a fim de entrelaçar os estudos entre os dois ramos da física: a mecânica quântica, que explica as menores partículas conhecidas até hoje (que são chamadas de quarks e léptons) e a relatividade geral, que explica os planetas, os fenômenos físicos e a relação entre fenômenos de grande magnitude.

Apesar e ambas as ciências serem excelentes em estudarem seus fenômenos, elas não se entrelaçam como quisera o gênio Einstein, que tentou com muita insistência unificar as diferentes forças do universo.

teoria-de-tudo

Para físico teórico Leonard Susskind, da Universidade Stanford nos Estados Unidos, essa unificação não seria tão difícil. Para ele, a correlação entre ambas se daria de uma mesma forma que uma folha de papel ao ser dobrada, o que em escalas universais seriam os “buracos de minhoca”, atalhos no espaço-tempo que permitiriam essa união.

A equação dessa hipótese é muito simples: ER = EPR, onde o “E” e o “R” fazem referência a Albert Einstein e a Nathan Rosen, os dois físicos que trabalharam sobre o conceito dos buracos de minhoca no ano de 1935. O nome técnico do fenômeno é “ponte de Einstein-Rosen”, como apresentado em ambos os lados da equação. O diferencial ao lado direito é a incógnita “P” que se refere ao físico Boris Podolsky, um físico que se dedicou ao estudo do “entrelaçamento quântico”.teoria-de-tudo-2

Vamos explicar com um pouco mais de detalhes: os buracos de minhoca funcionariam como um “atalho no espaço-tempo” em que você entraria em um deles e rapidamente sairia em outro local, talvez em uma dimensão paralela. Já o entrelaçamento quântico descreve como se refere à forma a qual duas partículas diferentes podem interagir dividindo uma mesma existência, ou seja: mesmo que estejam há anos luz de distância, as partículas sofrem as mesmas consequências, de modo que, o que aconteceria com uma partícula poderia ocorrer com outra como num espelho.

Susskind em um novo estudo elabora uma hipótese em qual Alice e Bob, por exemplo, peguem um punhado de partículas entrelaçadas e viajem para direções opostas do universo. De acordo com sua hipótese, quando chegarem aos seus destinos eles teriam suas partículas esmagadas com tanta força que resultaria na formação de dois buracos negros diferentes ligados por um buraco de minhoca gigante, sendo essa a ligação dos dois campos diferentes da física, que poderia servir de base para a tão sonhada por Einstein e Hawking, a Teoria de Tudo.

A ideia está sendo levada a sério e vários são os órgãos que tiveram ideias parecidas, como o Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech) que sugeriu hipóteses similares relatando que ambas as teorias podem estar muito mais próximas do que parecem.

[Fonte: Revista Galileu]

Comentários

CONTINUAR LENDO