Às vezes com a nossa rotina sempre apertada e pouco tempo para se fazer tanta coisa, acabamos comendo na rua e muitas vezes até nem prestamos muita atenção se aquele ambiente seja totalmente higiênico para o manuseio do alimento.

E isso é muito importante por exemplo na hora de se comer sushi. Apesar de ser um prato típico da culinária japonesa, virou um dos alimentos preferidos dos ocidentais, inclusive dos brasileiros.

Tal alimento faz um enorme sucesso principalmente entre nossos jovens, mas é preciso tomar bastante cuidado ao se escolher o local para como tal alimento. Isso por que um estudo publicado no British Medical Journal, mostra que o consumo de sushi está aumentando drasticamente os casos de infecção parasitária. E quem chegou a essa conclusão foi uma equipe de pesquisadores portugueses.

Usando como ponto de partida o caso de um paciente de 32 anos. Ele chegou até o hospital reclamando de fortes dores na barriga, febre e vômitos. E esses sintomas já estavam ocorrendo havia uma semana. Depois de realizar uma endoscopia, os médicos descobriram, que dentro do estômago dele haviam larvas do gênero Anisakis.

Tal enfermidade é causada pela ingestão de peixes e frutos do mar crus ou mal cozidos que contenham larvas desse parasita, segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC). As coisas ficaram mais claras quando o homem revelou que tinha comido sushi recentemente.

Se a infecção e as larvas que estavam em seu corpo, tivessem atingido seu cérebro, o homem poderia ter morrido, mas felizmente, isso não aconteceu porque ele foi ao hospital a tempo e isso foi primordial para sua recuperção.

Para tratar as vítimas de anisaquíase, infelizmente, as únicas formas são por meio da endoscopia ou cirurgia – alternativas eficazes para eliminação do verme. No caso desse paciente, bastou uma endoscopia para ele não sentir mais incômodos.

A anisaquíase é uma doença muito mais comum no Japão, graças aos hábitos alimentares da população, como o consumo de sushi.

A novidade é que ela tem crescido muito no Ocidente. Isso tem acontecido porque o sushi tem se tornado bastante tradicional. Para provar a tese, os pesquisadores mostraram que em 25 casos de anisaquíase, estudados entre 1999 e 2002, todos os pacientes tinham uma dieta rica em peixes crus.

O Ministério da Saúde, do Trabalho e da Previdência Social do Japão emitiu um alerta para o crescimento de infecções por anisakis. De acordo com o Japan Times,  o número de vítimas da doença aumentou de 79, em 2013, para 126, em 2016. Para você ter noção, em 2004 só houve quatro casos.

O governo japonês, por exemplo, orienta para que o peixe seja mantido numa temperatura abaixo de -20°C durante pelo menos 24h. Também recomenda que o peixe seja aquecido por um minuto, em temperaturas superiores a 60 graus – assim as larvas do parasita são eliminadas.

As recomendações da Agência de Padrões Alimentares dos Estados Unidos (FSA) são similares às do governo do Japão. Segundo a organização, peixes crus ou levemente cozidos devem ser congelados por quatro dias a uma temperatura de, pelo menos, -15°C.

Aqui no Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recomenda que os pratos preparados ou que contenham peixe cru ou mal cozido devam ser precedidos do congelamento do pescado em pelo menos -20ºC (menos vinte graus Celsius) por um período mínimo de sete dias ou menos -35ºC (menos trinta e cinco graus Celsius) por um período de no mínimo 15 horas. Essas condições já são suficientes para destruir as larvas.

Isso não quer dizer que você deve parar de consumir sushi, caso goste. Na verdade, queremos é que tome cuidado.

E se você conhece muitos amantes de sushi, compartilhar com eles esta nota não faria nenhum mal, pelo contrário, serviria como aviso para escolher se,pre um local higiênico e seguro.

Fonte: [porquenosemeocurrio]

Comentários

CONTINUAR LENDO